CRH

Alterações tubárias comprometem a fertilidade da mulher

As alterações tubárias contribuem para 25 a 35% dos casos de infertilidade feminina e muitas mulheres nem sabem que têm o problema. A hidrossalpinge é a doença mais grave no que diz respeito à função das trompas de transportar o embrião até o útero. Ela se caracteriza pela dilatação da trompa, causada principalmente por algum processo infeccioso, geralmente devido a uma bactéria transmitida sexualmente, como a clamídia ou o gonococo. Em alguns casos, a cirurgia de retirada da trompa com hidrossalpinge é indicada como uma tentativa de aumentar as chances de implantação do embrião, já que a secreção nas tubas pode dificultar a gestação.
A prevenção é sempre o melhor caminho. Por isso, é importante que a mulher fique atenta ao seu corpo e ao menor sintoma de infecção, consulte seu ginecologista.
Para as que sofrem com alterações tubárias e estão tendo dificuldades para engravidar, a FIV (Fertilização in vitro) é a alternativa mais indicada para aumentar as chances de ter um bebê.

Enquetes

Qual é o melhor destino
para os embriões congelados?

Participe

Pesquisa
para homens

Avalie seu conhecimento
sobre sua própria fertilidade

Participe

Cadastre seu e-mail e
receba as novidades do CRH: