CRH

Homoafetivos

Nós estamos aqui para ajudar crescer todos os tipos de famílias

Homoafetivos

No Centro de Reprodução Humana Prof. Franco Junior, os casais homoafetivos são bem-vindos e podem ter seus filhos por meio da reprodução assistida.

Nos casais formados por duas mulheres, conforme regulamenta o Conselho Federal de Medicina, podemos utilizar a inseminação intrauterina ou fertilização in vitro, sempre com sêmen de doador anônimo. As mulheres podem escolher aspectos físicos, profissão e até hobbies do doador para definir o ‘perfil’ do pai biológico do bebê mas, obrigatoriamente, será mantido o sigilo sobre a identidade do doador.

Uma das mulheres poderá ter seu óvulo fecundado pelo espermatozoide doado e ela mesma continuar a gravidez ou o óvulo fecundado de uma pode ser colocado no útero da parceira que vai engravidar, permitindo que as duas tenham participação no processo. Dessa forma, é muito importante sempre considerar a idade e saúde da mulher que vai produzir o óvulo.

É importante destacar que as mulheres não podem utilizar o sêmen de um familiar de uma das parceiras para fertilizar os óvulos de sua companheira. Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.

Nos casais formados por dois homens, um deles poderá doar o sêmen mas sempre dependerão de óvulos de doadora desconhecida e a gestação no útero de parente próxima de um deles para levar adiante a gestação. A resolução do CFM estabelece que o "útero de substituição" deve vir de uma familiar de no máximo quatro graus de parentesco. Isso significa que os homens podem pedir para a irmã, a mãe, a tia ou a prima carregarem o bebê. O limite anterior era para parentes de primeiro ou segundo graus, o que excluía tias e primas. O pagamento por uma barriga de aluguel é proibido.

Normas éticas.

Enquetes

Qual é o melhor destino
para os embriões congelados?

Participe

Pesquisa
para homens

Avalie seu conhecimento
sobre sua própria fertilidade

Participe

Cadastre seu e-mail e
receba as novidades do CRH: